Relação Custo/Benefício

Relação Custo/Benefício

Em termos de Economia a Relação Custo/Benefício é um conceito bem claro e totalmente calculável por uma fórmula bem definida. Aqui vamos trazer um conceito aplicável à uma Viagem. É um conceito bastante similar, aplicado de forma que nos ajude a comparar os custos de uma determinada escolha contra os benefícios que essa escolha possa nos propiciar de agradável, confortável ou prazeroso.

Basicamente essa Relação Custo/Benefício, neste ramo, se dará mais claramente – e portanto será um conceito mais facilmente aplicável – na escolha de onde comprar e que tipo de passagens será melhor para nós, e também na escolha do hotel em que nos hospedaremos durante nossa estadia.

Passagens Aéreas x Conforto e Tranquilidade

Primeira Classe
Classe Econômica

É aqui que começam a maioria das preparações dos roteiros de nossas viagens. Somos tentados a escolher a viagem com o menor preço. Mas não é o caso de simplesmente escolher a passagem mais barata para nosso destino (embora não precisemos escolher a mais cara) e pronto.

Você deve levar em consideração a tal da Relação Custo/Benefício para escolher qual é a melhor passagem a adquirir.

  • Seu tamanho físico, principalmente, suas pernas, cabe num avião de Low Cost (fileiras de poltronas que são mais próximas uma da outra = menos espaço para suas pernas), ou numa empresa que aproveita para enfiar mais passageiros no mesmo espaço que outra mais cara? confira essa informação no detalhamento de cada voo que for pesquisar
  • O serviço de bordo, a atenção da tripulação, a limpeza do avião, são considerados bons ou ruins pelos viajantes anteriores? – vários sites de compra de passagens divulgam a nota que os viajantes deram para cada voo
  • O tempo de viagem – na verdade o número de conexões e o tempo para você desembarcar, apresentar seu passaporte, e pegar o outro avião – é muito longo – ou muito curto? – lembre-se que esperar 6 horas no aeroporto pelo próximo voo pode ser bastante cansativo, mas perder a conexão porque aconteceu algum atraso com o voo anterior ou com sua documentação é muito desagradável! – vários sites de compra de passagens divulgam a nota que os viajantes deram para cada voo
  • O nível de conforto e espaço das poltronas aliados à um serviço melhor, na alimentação e bebidas que são disponibilizadas, compensa uma mudança de classe (exemplo: passar da classe Econômica para a Econômica Premium pode custar até 50% a mais)?
  • O custo de uma viagem mais barata, mas sem direito à uma ou à duas malas registradas (aquelas que vão no porão dos avião) compensa o valor que você terá que pagar para levar as malas que precisa – tanto na ida, quanto – e principalmente – na volta? Ou o melhor é já escolher um voo onde suas malas possam ser embarcadas sem custos adicionais?
  • Lembre-se que a classe Econômica, além do natural desconforto dos assentos, te colocará como um dos últimos a embarcar num avião. Assim você poderá descobrir que no bagageiro acima de sua poltrona já não tem mais espaço para sua mala, porque os outros já colocaram as suas lá, e terá que colocá-la alguns metros à frente ou atrás, e você então não terá contato visual com o seu bagageiro durante as horas do voo.

Hotéis (3 x 4 x 5 estrelas) x Hostels

Quarto de um Hotel de 5 Estrelas
Quarto de um Hotel de 2 Estrelas

Este é o segundo maior passo e a segunda dúvida para um viajante: escolher o melhor hotel que seu dinheiro pode pagar ou escolher o hotel mais barato possível. Num você terá um grande conforto, melhores serviços, quartos melhores e maiores, café da manhã mais saboroso e completo, etc – já no outro a Relação Custo/Benefício pode não ser a indicada para você, ou que supere o mínimo que você aceitaria passar suas noites.

Portanto você, novamente, deverá levar em conta a tal Relação Custo/Benefício para escolher em que hotel – e em que tipo de quarto – você vai escolher para ficar.

  • Se o problema é seu baixo nível de economias, então o melhor é tentar um bom Hostel*, onde você economizará um bom dinheiro, mas terá que conviver com outras pessoas no mesmo quarto, usar um banheiro coletivo (e não um privativo). Se a viagem for para o casal, cada um vai dormir num quarto diferente – homens e mulheres ficarão separados
  • O nível de serviço prestado pela equipe de um hotel, a qualidade e conforto do quarto, o tamanho do quarto em si, se tem Vista para a Cidade ou se tem Vista para o Mar, são avaliados pelos viajantes nos sites de busca de hotéis. Uma avaliação melhor significa um maior custo, mas também um melhor benefício. Já se você escolher um mais barato, com baixo nível de satisfação dos clientes anteriores, poderá até ter que ficar num quarto minúsculo (quase claustrofóbico) e talvez até sem janelas (isso eu vi em Londres)
  • Lembre-se que se o conforto e o nível de serviço desejado é algo muito importante para você, já comece filtrando em suas pesquisas por hotéis com pelo menos 3 estrelas – não perca seu tempo vendo hotéis de 2 estrelas ou, pior, de 1 estrela
  • Também não tente ficar com um quarto onde o café da manhã não está incluído no preço. Nessa situação, de um casal que vai pagar de forma avulsa pelo café da manhã, o custo é maior do que se você escolher as opções com ele já incluso – no mínimo aqui você já economiza uns R$ 50,00 por dia para um casal
  • Verifique também as avaliações, e nem tente perder tempo com hotéis cujas avaliações ficam abaixo dos 3,5 pontos (para os sites que avaliam entre 0 e 5 (ou 7 para aqueles cuja nota máxima vai até 10)
  • Se as avaliações são poucas (menos que 10 avaliadores) ou ficam muito próximo do limite de 3,5 que sugerimos acima, confira algumas das avaliações individuais que os sites permitem serem consultadas, e veja se as críticas que existirem são exatamente sobre os pontos que você não abre mão de jeito algum
  • Além do ar-condicionado (ou para cidades e épocas de muito frio, além do aquecedor) veja se a arrumação é diária. Ponto importante a se checar, já que aqueles mais baratos ou em Hostels, normalmente tem uma arrumação semanal apenas. Veja também os comentários sobre a qualidade da arrumação, alguns pecam nesse quesito, o que pode ser um grande inconveniente – alguns Meta-Buscadores até indicam as notas dos clientes por tópicos e de forma gráfica
  • Não se deixe levar por hotéis com salão de ginástica ou piscinas – em geral você não vai utilizá-los, já que o foco da maioria é conhecer a cidade, seus costumes, sua comida, etc, e portanto não vai ter tempo para ficar malhando ou nadando na piscina, ou então estará bem cansado e pronto para apenas um jantar e uma noite de descanso, para poder enfrentar a próxima jornada, no dia seguinte – com certeza este é um custo que você pagará para não usar.

Hostel* – devemos esclarecer que, em muitos locais, existem Hostels que mais parecem hotéis, em nada lembrando um provável albergue. Existem Hostels que disponibilizam quartos individuais, e mesmo com a existência de banheiro privativo. Obviamente seus custos são maiores que os Hostels mais convencionais, mas ainda assim tem custos menores que os hotéis mais comuns, de três estrelas. Verifique na cidade em que você vai passear a existência dessas interessantes opções de hospedagem

2 thoughts on “Relação Custo/Benefício

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.